5 PRÁTICAS PARA DESPERTAR TODO POTENCIAL DO SEU SAGRADO FEMININO

Ricardo Dih Ribeiro

Ricardo Dih Ribeiro Publicado 26/10/2021 



Não é uma religião. É uma corrente que defende que a mulher precisa se reconectar com a essência do que é feminino.

Princípios e práticas para despertar a sua shakti

  1. A Shakti é radicalmente inclusiva.

O caminho do Tantra diz “Sim” para toda a vida, não apenas as partes atraentes, as partes feias também. É tudo parte da grande tecelagem, cada segmento contribui para a integridade final desta tapeçaria da vida. Nós praticamos abraçar tudo e rejeitamos nada. Deste lugar de inclusão, agimos, temos preferências, falamos a nossa verdade.

Prática:
O que você está empurrando contra, agora em sua vida (a coisa que você menos gosta sobre o seu corpo, o aquecimento global, alguém que te irrita)? Imagine mover-se para o lado, tendo um olhar para a situação como ela é, mesmo se você não gostar dela ou compreendê-la, e ver o que está disponível para você quando você parar de rejeitar e alcançar mais aceitação.

  1. A Shakti é incorporada.

A nossa essência feminina sagrada é encontrada não por rejeitar o corpo, tentando meditar nosso caminho acima, para cima e longe do reino da terra para o céu, mas ao vir para baixo, abaixo e para dentro da alma habitando nossa forma feminina. Assim como qualquer planta deve primeiro ter raízes fortes, a fim de crescer e alcançar o céu, honramos o corpo como a base sagrada de nosso espírito.

Prática:
Conecte-se com a terra todos os dias, coloque o seu corpo ou seus pés no chão, encoste em uma árvore, tome três respirações profundas a partir do centro da terra em seus pulmões e no seu expirar, imagine lançar suas “raízes” para dentro do planeta.

  1. A Shakti cultiva o prazer como um portal para o Divino.

Nós nascemos seres sensuais. Nós somos projetados para buscar o prazer e evitar a dor. O prazer é fundamental para a nossa saúde, bem-estar e plenitude. Em algum lugar ao longo do caminho, aprendemos a suspeitar do prazer, aceitamos a ideia distorcida que o que é bom não é de alguma forma bom para nós. Nossa alegria final é lembrar nossa união sagrada com integridade, com o Divino.

Prática:
Pare neste momento e se conecte com o seu prazer: o que você vê, cheira ou ouve no seu ambiente ou sente no seu corpo agora que lhe agrada. Note isso uma escala de 1 a 10 e, em seguida, veja o que você pode fazer para elevar isso em alguns pontos. À medida que aumenta o prazer, permita que ele seja um bálsamo curativo em seu corpo, ligando-a à Fonte de quem você realmente é.

  1. A Shakti abraça a sexualidade como algo sagrado.

Nossa sexualidade nos oferece acesso à maior potência do mundo, a capacidade de criar uma nova vida. A união erótica de masculino e feminino, yin e yang, em conjunto, criam a totalidade, se estamos a amar o outro ou o nosso próprio casamento consigo mesmas.

Se estamos a criar um bebê, um negócio, ou inaugurar uma nova maneira de ser, estamos nos deliciando com o milagre sagrado da criação. A energia orgásmica inunda o nosso corpo com luz e, literalmente, nos dá a experiência momentânea de dissolver a ilusão da separação e conhecer a “iluminação”.

Prática: Feche os olhos e sinta a parte de você que veio de seu pai, o seu próprio masculino ou essência de Shiva, e a parte de você que veio de sua mãe, sua essência feminina ou Shakti. Imagine esses dois aspectos de si mesma loucamente apaixonados, adorando um ao outro, e num acoplamento erótico apaixonado. Desfrute de qualquer energia que surge e dedique-a, se você escolher, para o que você está querendo manifestar em sua vida.

  1. A Shakti está presente ao retornar a seus sentidos.

Nosso condicionamento de uma cultura hiper masculina muitas vezes nos mantém presas na mente: pensar, melhorar, tentando descobrir tudo, planejar, elaborar estratégias. São ferramentas úteis, mas também uma receita para a loucura quando fora de equilíbrio. Todas as práticas de meditação são projetadas para nos ajudar a despertar para a presença em vez de sermos incessantemente impulsionados por nossos pensamentos em grande parte neuróticos, medrosos e habituais. Chamar a atenção para a respiração, a abertura para as sensações de sentimento, audição, paladar, olfato e visão, permite-nos  descansar no momento presente, o único lugar onde os milagres vivem.

Prática:
Feche os olhos e traga a sua consciência para a respiração, como sente o ar entrando e saindo de seu nariz, seu corpo. Mantenha-se conectada à sua respiração, observe quais os gostos que são persistentes em sua língua, o que você ouve e cheira agora. Então, lentamente, abra os olhos para receber apenas aquilo onde eles pousam, texturas, cores, tons de luz. Observe como a plena consciência de seus sentidos naturalmente a orientam para a presença e para o relaxamento encontrado lá.

O princípio feminino, foi durante muito tempo na história da humanidade, reverenciado como a manifestação do poder primordial criador que flui através de nossos corpos e da Natureza. As mulheres eram consideradas sagradas pela capacidade de gerar vida, de acolher e cuidar, por sua beleza e sua intuição.

Atualmente, essa conexão encontra-se enfraquecida, mas ela pode ser rapidamente nutrida e vivificada com nossa energia e intenção.

 

Voltar ao topo